Posted in:

Stakeholders: O que é, qual a importância e exemplos

Stakeholders o que é e qual importância exemplos
Stakeholders: O que é, qual a importância e exemplos
Este texto te ajudou?

Como os stakeholders podem contribuir com resultados melhores no seu negócio?

Você talvez ainda não tenha essa resposta, especialmente se não sabe quem eles são.

Mas, acredite, conforme aprofunda seu conhecimento sobre o tema, cresce enquanto gestor e mais se aproxima do sucesso no empreendedorismo.

É por isso que, ao iniciar a leitura deste artigo, você está dando um primeiro passo.

Ao longo das próximas linhas, vamos avançar no conceito, sua importância e apresentar exemplos.

E para manter você conectado no tema, já podemos adiantar alguns pontos.

A verdade é que, por representarem as partes interessadas de um negócio, os stakeholders assumem importância fundamental no seu dia a dia.

Para crescer de forma sustentável e ter um projeto viável no longo prazo, é preciso entender como se comportam:

  1.  A equipe interna de funcionários
  2. Os gestores da empresa
  3. Os acionistas

Para nos limitarmos a apenas alguns exemplos.

Caso suas decisões acabem indo de encontro ao interesse deles, o resultado não é positivo.

Como resultado, você pode encontrar funcionários frustrados e desmotivados, gestores insatisfeitos e acionistas receosos.

Não é o cenário que você deseja para a sua empresa, não é mesmo?

Neste artigo, você vai aprender a diferenciar os tipos de stakeholders e conhecer exemplos práticos para facilitar o entendimento.

Se preferir, você pode navegar pelos tópicos abaixo para ir direto ao assunto que lhe é mais interessante.

Vamos lá?

Stakeholders: O que é?

O que é Stakeholders?

Stakeholder é um termo da língua inglesa muito utilizado no mundo corporativo e no contexto das instituições, que pode entendido como “grupos de interesses”.

Faz referência a todos os grupos de pessoas que possuem algum tipo de interesse no desempenho, nos processos e nos resultados da organização.

Elas podem ter feito investimentos na empresa, como os acionistas, ou estarem vinculadas a ela por questões trabalhistas, como os funcionários.

O que cada um desses grupos deseja varia bastante.

Mas, apesar de heterogêneos, eles são definidos igualmente como stakeholders porque têm algum interesse no negócio.

É por essa razão que todos precisam ser considerados por quem toma as decisões de gestão no dia a dia da companhia.

Stakeholders significado

A expressão stakeholders foi cunhada pelo filósofo norte-americano Robert Edward Freeman, no ano de 1963.

Na oportunidade, ele emitiu um memorando interno da empresa Stanford Research, no qual caracterizava os stakeholders como “grupos cujo apoio é vital para a existência da organização”.

Por isso, desde então, estudiosos das áreas de comunicação e tecnologia da informação definem stakeholders como “parte interessada” ou “interveniente”.

Porém, a expressão que melhor extrai o seu significado, em português, segue sendo “grupos de interesse”. Por esse motivo, vamos adotar essa definição como a padrão para o texto daqui em diante.

Antes de continuar, no entanto, é válido abordar mais uma questão a respeito da origem da expressão.

Será que existe uma tradução literal para a palavra stakeholder?

Existe tradução para a palavra Stakeholder?

Não existe uma tradução perfeita da palavra stakeholder para a língua portuguesa, mas, a partir dos significados de cada termo, é possível explicar a sua etimologia e chegar a uma aproximação.

Na língua inglesa, a palavra “stake” significa interesse, participação ou risco.

Já “holder” é uma palavra utilizada para designar “aquele que possui”. Ela costuma ser empregada em contextos nos quais algo pertence ao sujeito, por isso ele, é chamado de holder.

Assim, stakeholder poderia ser traduzido como parte interessada, ou “aqueles que possuem interesse”.

Deu pra entender por que “grupos de interesse” é uma ótima definição para o termo?

Stakeholders ou Shareholders?

Quando não se conhece o significado do termo, é comum fazer confusão entre stakeholders e shareholders.

Mas há uma diferença bem clara entre os dois termos e as influências de cada um no dia a dia da empresa.

Enquanto stakeholders se referem a todos os grupos de interesse da empresa, dos funcionários aos acionistas, shareholder diz respeito apenas àqueles que detêm o capital, ou seja, os proprietários e acionistas.

Os shareholders também são conhecidos como stockholders, e o termo era utilizado, antigamente, para designar um modelo de gestão focado apenas no interesse dos acionistas.

Nesse modelo, típico e quase exclusivo da Era Industrial, o único objetivo da empresa era garantir lucro para os shareholders, que haviam depositado depositado dinheiro na companhia.

Embora seja um modelo de grande responsabilidade financeira, porque previne erros e evita casos comuns de má gestão, ele deixa de lado o interesse dos outros stakeholders.

Ao fazer isso, acaba negligenciando também o apelo social da empresa e a sua responsabilidade sobre os funcionários, os fornecedores e os clientes.

No modelo de gestão voltado aos stakeholders, a empresa assume o papel de uma organização social, capaz de garantir algum tipo de benefício a todos os grupos de interesse.

É por esse motivo que ele também é conhecido como um modelo de responsabilidade social, porque busca garantir uma espécie de equilíbrio.

Se, no modelo shareholder, o lucro ficava apenas com acionistas e proprietários, no modelo stakeholder, o lucro é dividido de acordo com a participação de cada grupo de interesse no resultado da empresa, de forma proporcional.

Você já ouviu falar em participação nos lucros?

As empresas que adotam esse regime estão priorizando o modelo de gestão dos stakeholders, porque dividem, com os funcionários, parte dos lucros da companhia.

Ao fazer isso, elas reconhecem a importância desse grupo de interesse para os resultados obtidos pela empresa – e todos saem ganhando.

Teoria dos StakeholdersStakeholders: Teoria

A Teoria de Stakeholders foi cunhada pelo filósofo Freeman, o mesmo que criou a expressão.

Ele contrariou a chamada Teoria Econômica Clássica, segundo a qual a única parte interessada do negócio é o proprietário da empresa.

A partir de seus estudos, Freeman concluiu que há diversos outros grupos da sociedade que precisam ser considerados pelos gestores em suas ações, como organizações não governamentais, fornecedores, colaboradores, clientes, concorrentes e muitos outros.

O autor baseia a sua teoria em quatro ciências: sociologia, economia, política e ética.

De forma resumida, a ideia apresentada pelo filósofo procura explicar a relação da empresa com o ambiente externo a ela.

Outro ponto importante de sua teoria é o entendimento de que os interesses de cada grupo de stakeholders é específico. Ou seja, que não há preponderância de um interesse sobre o outro.

Nesse sentido, cabe ao gestor avaliar de que maneira cada grupo de interesse influencia nos resultados da empresa e tomar suas decisões com base nas necessidades da companhia e nas prioridades elencadas.

Qual a importância dos stakeholders para uma empresa

Para falar sobre a importância dos stakeholders para uma empresa, vale fazer uma reflexão a partir de três questionamentos:

  • Dá para planejar as ações de uma empresa sem conhecer o perfil do cliente que você pretende atingir?
  • Como ser bem-sucedido em uma ação se os funcionários escolhidos para a tarefa não possuem as competências necessárias?
  • E como se diferenciar da concorrência se você escolhe um fornecedor mais lento, tem preços fora da realidade do local no qual está inserido e oferece um serviço de pior qualidade?

Não tem como, não é?

Veja que a importância dos stakeholders para uma empresa é total, porque atender aos seus interesses encaminha a gestão para decisões mais corretas.

Na prática, você qualifica as suas ações, talvez pela oferta de soluções melhores, em prazos menores e com preços mais atrativos, entre outras possibilidades.

Também faz isso sem deixar de reconhecer seu time e de forma a gerar lucro.

No fim das contas, todos os grupos de interesse são beneficiados, incluindo você.

É por esse motivo que, quanto melhor você conhecer esses grupos, mais acertadas serão as suas decisões.

O sucesso do planejamento estratégico depende do conhecimento aprofundado de todos aqueles que são afetados ou influenciam no resultado da empresa.

Quando os grupos de interesse trabalham em conjunto, atuando em harmonia, os resultados aparecem, porque surge o que já chamamos, neste texto, de equilíbrio social.

Qual o objetivo do stakeholder de um projeto?

Stakeholders: Qual objetivo de um projetoO objetivo de cada stakeholder de um projeto é alcançar o melhor resultado para o seu grupo de interesse.

Em outras palavras: cada grupo de interesse vai atuar em benefício próprio – o que será, em última instância, lucrativo para a empresa.

Isso é natural da natureza humana e se repete todos os dias dentro das empresas e na sociedade como um todo: a busca pelo lucro individual depende de serviços de qualidade.

O padeiro não pode obrigar o cliente a comprar o pão. O que ele pode fazer em benefício próprio é oferecer o pão de melhor custo-benefício para a clientela, como forma de atrair os consumidores.

Um pão quentinho e fresquinho, bem assado e do tamanho ideal.

É beneficiando o cliente que o padeiro beneficia a si mesmo.

É por isso que o capitalismo funciona: está baseado nas trocas.

Dentro de uma empresa, o mecanismo se repete.

Considere, por exemplo, um vendedor que recebe comissões por vendas.

Ao buscar o melhor para si mesmo (um salário maior), ele trabalha, automaticamente, para o melhor para a empresa (mais vendas e maior faturamento).

Essas situações se repetem a todo momento, então, cabe a você entender o interesse de cada grupo para harmonizá-los em favor também do negócio.

Nem sempre isso é tão fácil quanto parece.

Em alguns casos, é possível que haja algum conflito: o acionista deseja reduzir custos com pessoal, mas você percebe que é preciso investir na qualidade dos recursos humanos para obter os melhores resultados e competir com a concorrência.

É aí que entra o seu papel de gestor e é justamente por isso que é tão importante conhecer a fundo os stakeholders e ter o equilíbrio como meta.

Quem são os stakeholders de uma empresa?

Como já mencionado, os stakeholders de uma empresa são todas as pessoas ou grupos de pessoas que possuem interesse nos resultados da empresa.

Para identificá-los, basta analisar e tentar entender se essa pessoa é afetada pela empresa, de forma direta ou indireta.

Se a resposta for sim, ele é um stakeholder.

Nessa avaliação, não entra ainda o grau de interesse na empresa – porque alguns têm interesse maior do que outros.

Mais à frente, essa questão vai ser abordada quando dividirmos os stakeholders entre internos e externos.

Antes, porém, vale a pena citar exemplos de stakeholders para você entender como eles se comportam na prática.

Exemplos de Stakeholders de uma organização: Todas as áreas têm um?

Até aqui, você aprendeu o que são os stakeholders e qual a importância de conhecê-los para o futuro da empresa.

Agora, vamos mostrar com exemplos quem são eles.

Acompanhe:

  • Proprietários da empresa
  • Sócios
  • Acionistas
  • Investidores
  • Colaboradores
  • Gestores
  • Clientes
  • Fornecedores
  • Concorrentes
  • Sindicatos
  • ONGs
  • Mídia e imprensa
  • Município
  • Estado
  • País.

Stakeholders: Quais são tipos?Quais são os tipos de Stakeholders?

Agora, vamos abordar uma diferenciação que, frequentemente, é utilizada para facilitar o entendimento do cenário e simplificar as decisões que serão tomadas no dia a dia da empresa.

Nessa divisão, os stakeholders citados acima são encaixados nos grupo de stakeholders internos ou stakeholders externos.

Stakeholders Internos

Os stakeholders internos são representados por grupos que possuem alguma relação formal com a empresa.


São aqueles envolvidos no dia a dia do negócio e que possuem vínculo direto com ele.

Veja exemplos:

  • Colaboradores
  • Gerentes
  • Proprietários
  • Acionistas
  • Investidores.

Stakeholders Externos

Já os stakeholders externos são aqueles que, apesar de serem diretamente ou indiretamente afetados pelo desempenho da empresa, não possuem um vínculo claro com ela.

O nome “externo”, então, se justifica por não participarem do dia a dia da organização.

Confira exemplos;

  • Clientes
  • Fornecedores
  • Concorrentes
  • Sindicatos
  • ONGs
  • Mídia e imprensa
  • Estado
  • Município
  • País.

O que são stakeholders primários e secundários?

Além de stakeholders externos e internos, é possível definir os grupos de interesse em stakeholders primários e secundários.

A separação é semelhante e os grupos tendem a ficar muito parecidos, mas ela ajuda a entender quem deve ser priorizado na hora de tomar as decisões.

Os stakeholders primários estão vinculados à empresa e devem receber preferência na defesa de seus interesses.

Já os stakeholders secundários se assemelham aos externos, porque não têm vínculo formal com a empresa e, em alguns casos, são afetados de forma indireta.

Portanto, o interesse desses grupos de interesse também deve ser secundário.

Como são os stakeholders no marketing?

Se os stakeholders estão relacionados a todas as áreas da empresa, é natural que eles exerçam papel fundamental também para as iniciativas de marketing.

Nessa área, a análise dos stakeholders surge com frequência na fase de planejamento da comunicação.

Não tem como planejar a abordagem de uma campanha de marketing sem levar em consideração o público-alvo, o público interno e os grupos de interesse, não é mesmo?

Ao pensar na estratégia, haverá mudanças na linguagem e no estilo da abordagem, o que vai depender de cada stakeholder, porque cada público de interesse tem necessidades próprias, as quais são, muitas vezes, diferentes umas das outras.

Para não errar, a grande dica é estudar os stakeholders com antecedência, para conhecer o máximo possível a respeito de cada grupo.

Assim, você adapta a mensagem para que ela fique adequada aos interesses do público em questão.

Vamos para um exemplo prático?

Considere, por exemplo, que a sua empresa, focada em desenvolvimento de softwares, está oferecendo novos serviços.

Para divulgar a novidade, você precisa pensar em uma campanha de marketing que atinja os seus clientes em potencial.

Para isso, tem que saber onde eles se informam e o que consideram na hora de escolher um prestador de serviço.

Mas essa novidade também precisa ser comunicada para os investidores e acionistas.

Nesse caso, você não vai utilizar a mesma campanha, porque o público é outro e a linguagem precisa mudar.

É aí que você faz os ajustes pensando nos interesses, desejos e necessidades de cada grupo.

Deu pra entender como o marketing e a comunicação são impactados pelos stakeholders?

Saiba como definir seus Stakeholders. Conheça o passo a passo

Agora que você já sabe explicar com clareza o que são os stakeholders e como eles impactam a sua empresa, é hora de entender, em um passo a passo Stakeholders: Saiba como definir seu conheça passo a passosimplificado, como definir os stakeholders do seu negócio.

Análise de stakeholders

A análise de stakeholders consiste em três etapas, nas quais você vai identificar os stakeholders, definir suas expectativas e classificar cada um dos grupos de interesse.

Identificação dos grupos de interesse

Para identificar os stakeholders, você precisa fazer um exercício de imaginação e listar todas as pessoas que são impactadas pelos projetos e ações da empresa.

Acima, listamos exemplos que podem ajudá-lo nesse processo.

Comece por quem está ao seu lado no dia a dia e, depois, expanda a sua mente para os últimos afetados pelo trabalho da empresa.

Análise dos interesses

Listados os interessados, é hora de descrever as expectativas e interesses de cada um dos grupos envolvidos com o projeto.

O funcionário está interessado em um bom ambiente de trabalho, com possibilidade de crescimento profissional, em um espaço no qual ele se sinta valorizado, trabalhando por um propósito no qual ele acredite.

Já o cliente está interessado em um produto com o melhor custo-benefício possível, um atendimento exemplar e soluções simples para os problemas que possam surgir ao longo do processo de compra.

Percebe como os interesses vão mudando para cada stakeholder?

Classificação

O último passo da análise de stakeholders é a classificação.

Portanto, você precisa dividir os grupos de interesses pelos seus graus de poder, interesse e de influência na empresa, por exemplo.

Nessa comparação, o grupo com a maior influência fica no topo, e o grupo com menor influência fica na base.

Para fazer essa divisão, você deve se perguntar: quem são as pessoas que possuem mais poder sobre as decisões da empresa? E em segundo lugar? E em terceiro?

Outra classificação comum é o grau de poder, que é semelhante ao grau de influência.

Há, ainda, a classificação por grau de interesse, na qual os maiores interessados são os proprietários, e os menos interessados aqueles que praticamente não são afetados pelos resultados da empresa.

Essas classificações permitem que você tome as decisões olhando com mais atenção para quem tem maior influência sobre a empresa.

Consequentemente, você acerta ao definir prioridades.

Mas ainda é possível ir além, com uma matriz stakeholders, na qual há uma combinação entre os níveis de interesse e poder de cada grupo.

Matriz stakeholders

A matriz stakeholders é um modelo de classificação que permite traçar um panorama sobre os grupos de interesse da empresa.

Com ela, fica mais simples visualizar quais são os aspectos relevantes de cada grupo.

Para montar a matriz, é preciso pensar em quatro quadrantes, divididos em um gráfico com dois eixos.

No eixo vertical, está o nível de interesse, partindo de ínfimo, na base, para muito alto, no topo.

No eixo horizontal, está o nível de poder, partindo de ínfimo, na base, para muito alto, na extrema direita.

Com esses dois eixos marcados, você deve posicionar cada um dos stakeholders em algum ponto do gráfico, de acordo com o seu nível de interesse e o nível de poder.

Considere um exemplo hipotético:

Os proprietários da empresa estariam na extremidade direita e superior do gráfico, porque são os maiores interessados e os mais poderosos da empresa, por tomarem as decisões.”

Nesse mesmo exemplo, os fornecedores estariam mais próximos do centro do gráfico, posicionados no quadrante esquerdo superior. Isso aconteceria porque eles têm um bom nível de interesse, mas praticamente não possuem poder para as decisões da empresa.

Essa classificação facilita bastante a visualização dos grupos de interesse mais relevantes da organização.

Conclusão

Stakeholders: ConclusãoNeste artigo, vimos que entender o que é stakeholder é bem mais simples do que o nome sugere.

Após a leitura, você tem o que precisa para identificá-los e também classificá-los na empresa.

Esperamos que esse conhecimento tenha agregado valor ao seu repertório de decisões enquanto gestor e empreendedor.

Na próxima vez em que você se sentir sem saída no dia a dia do ambiente de trabalho, lembre-se dos termos e das classificações que aprendeu neste artigo e, certamente, será mais fácil tomar as melhores decisões.

Mirando o equilíbrio, você não apenas agrada a todos os interessados, como assegura as condições necessárias para o melhor desempenho da empresa.

Como consequência, resultados satisfatórios o esperam ali na frente.

Um comentário

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *