Posted in:

CRECI: o que é, por que é importante e como tirar?

Imagem 9 -CRECI o que é, por que é importante e como tirar

Estar por dentro do CRECI é essencial para quem quer trabalhar com a compra e venda de imóveis.

Esse é um mercado interessante, que até sente os efeitos da crise, mas nunca deixa de movimentar a economia.

Afinal, a moradia é uma necessidade básica de qualquer cidadão.

Todos os dias, brasileiros estão em busca de imóveis para mudar de cidade, para ficar mais próximos do trabalho ou da família, enfim, para se sentirem melhor em suas casas.

Isso sem falar de quem busca uma sala ou ponto comercial para tocar seu negócio.

Seja qual for o caso, sozinhos, eles não têm tempo e nem habilidade para encontrar a melhor solução às suas necessidades.

É aí que entra o corretor de imóveis, que atua de acordo com a lei do CRECI.

Neste artigo, vou explicar o que é preciso para tirar o CRECI, um registro obrigatório para a profissão.

Também vou falar de cursos para tirar o CRECI e se tem como tirar o CRECI online.

Você vai descobrir que, além de corretor, pode abrir empresa e ser um pequeno empreendedor de sucesso.

Gosta da ideia?

Então, boa leitura!

Entenda o que é CRECI

CRECI é o Conselho Regional de Corretores de Imóveis.

Criado em 1962, o órgão surgiu para fiscalizar o trabalho dos corretores e das imobiliárias.

Imagem 1 -CRECI o que é, por que é importante e como tirar
Se está pensado na área de venda de imóveis as informações a seguir são muito importantes. Não perca!

Ele teve início exatamente no mesmo ano do Conselho Federal dos Corretores de Imóveis, o COFECI.

De acordo com a Lei Federal 6530/78, somente as pessoas autorizados pelo CRECI podem fazer o registro de propriedade.

Ou seja, todos os corretores de imóveis devem estar inscritos no CRECI de seus estados para poderem exercer a profissão.

Sem a certificação, a atividade é considerada ilegal.

Juridicamente falando, o CRECI é uma autarquia do Estado, tendo autonomia para se autogerir, e é fiscalizado pelo Tribunal de Contas da União.

Entre as atribuições do CRECI, está a fiscalização do corretor.

Isso garante que ele esteja exercendo a profissão de acordo com a lei.

Também compete ao órgão a verificação se o profissional está habilitado para realizar a atividade e a aplicação de multa a quem estiver irregular.

Em alguns casos, o corretor pode até ter a sua licença cassada devido ao envolvimento em irregularidades.

O objetivo da fiscalização é garantir a total segurança das transações imobiliárias no país.

Ou seja, se você achava que o CRECI era apenas uma entidade que defendia os corretores, percebe agora que você é o principal beneficiado.

Ao vender ou comprar um imóvel, o órgão é o responsável por lhe dar maior segurança na transação.

Já quem é corretor entende bem a importância do CRECI para a profissão.

E quem ainda não é, mas tem a intenção de ingressar nessa atividade, com certeza tem dúvidas sobre como funciona o órgão e como é realizado o processo de inscrição.

Se esse é o seu caso, continue lendo este artigo.

Nas próximas linhas, vou explicar a você tudo sobre essa sigla tão importante no universo da corretagem de imóveis.

O CRECI é válido para todos os Estados?

Todos os estados podem (e devem) ter o seu próprio CRECI.

Como já expliquei, esse é o órgão que garante que as transações de compra e venda de imóveis sejam realizadas em atendimento às regras.

No Brasil, atualmente, existem 25 unidades do CRECI.

Juntas, elas contemplam todos os estados do país.

Quer conhecer qual a unidade mais próxima de você?

Neste link, você consegue visualizar os endereços das unidades, além de outras informações úteis, como telefones, e-mails, sites e também os dados dos presidentes de cada CRECI.

Você vai ver que cada órgão estadual tem seu site.

Nele, disponibiliza orientações para quem quer se cadastrar.

Alguns CRECIs também oferecem cursos e palestras, notícias e novidades sobre temas que envolvem o ramo de corretagem de imóveis e muito mais.

Vale lembrar ainda que, embora cada CRECI tenha atuação regional, a lei federal segue sendo o instrumento a guiar a atuação dos condutores em todo o país.

Ou seja, para quem quer ingressar na área, conhecer o que diz a legislação é imprescindível.

Por que o CRECI é importante para corretores de imóvel?

Além de garantir a segurança das transações imobiliárias, o registro do CRECI proporciona credibilidade ao corretor e competência para realizar o trabalho, o que facilita muito as negociações.

Quer ver só?

Em primeiro lugar, para você se cadastrar no CRECI, é preciso realizar um curso técnico ou superior.

Imagem 2 -CRECI o que é, por que é importante e como tirar
O CRECI representa mais segurança para o corretor e para o comprador. Capacitando o profissional e fazendo com que tudo esteja dentro da lei.

Isso acontece porque o órgão exige que o candidato apresente diploma de um curso reconhecido pelo conselho.

E com quais opções você conta para se capacitar?

São duas, basicamente:

  • Curso Técnico em Transações Imobiliárias
  • Curso Superior Sequencial e Tecnológico de Ciências Imobiliárias / Gestão de Negócios Imobiliários.

Com qualquer uma dessas formações, pode ter certeza que você terá bagagem suficiente para realizar o seu trabalho da melhor forma e dentro da lei.

O conteúdo programático, a carga horária e a metodologia de cada curso variam conforme a instituição responsável por ministrá-lo.

Durante o curso, você pode ter que fazer um estágio obrigatório.

É uma etapa importante.

Ele proporciona experiência nesse mercado, algo ainda mais valioso.

Afinal, a vivência prática vai ajudar muito mais na sua atuação como corretor.

Depois de concluir essa fase, aí sim você pode se registrar no CRECI.

É com o recebimento da chamada carteira vermelha que você poderá se considerar certificado e autorizado para o exercício da profissão.

Importante dizer ainda que ela o habilita a diversas funções dentro do mercado imobiliário.

Por tudo isso, o CRECI é essencial para você que tem essa meta.

Além do conhecimento teórico, técnico e prático, você ainda pode trabalhar com total segurança.

E lembre-se sempre da dica: a partir do momento em que você se torna um corretor, é também um empreendedor.

O seu trabalho é livre e só depende de você para realizá-lo.

Ao mesmo tempo em que isso é ótimo, também representa um desafio e uma grande responsabilidade.

Seu sucesso ou seu fracasso estão nas suas mãos.

Portanto, passe a assumir uma identidade empreendedora a partir daqui.

Falarei mais sobre isso nos próximos tópicos.

Como tirar o CRECI?

No tópico anterior, falei sobre a importância do CRECI e tudo que ele te proporciona em termos de conhecimento e de segurança.

Agora, vou apresentar o passo a passo para você saber exatamente o que deve fazer para tirar o seu registro.

Confira só!

Imagem 3 -CRECI o que é, por que é importante e como tirar
Para obter o registro são necessários os seguintes passos. Atente-se!

Passo 1

Providenciar o título de Técnico em Transações Imobiliárias ou o diploma de Curso Superior Sequencial e Tecnológico de Ciências Imobiliárias / Gestão de Negócios Imobiliários.

Para isso, é necessário que você se matricule em uma instituição de ensino autorizada e realize um dos cursos de forma presencial ou online.

Passo 2

Estando devidamente matriculado e realizando o curso, pode ser que ele exija um estágio obrigatório.

Nesse caso, você deve solicitar ao CRECI um registro de estágio.

Acesse o site da unidade que atende seu estado, preencha o formulário, imprima e assine.

Também recolha a documentação e pague as devidas taxas.

Por fim, é só dar entrada no protocolo com o seu pedido em uma das delegacias sub-regionais ou seccionais mais próximas da sua residência.

Passo 3

Após a conclusão do curso e com o diploma em mãos, você pode solicitar o registro no CRECI.

Isso também pode ser feito pela internet, via site do órgão regional.

As etapas são as mesmas do passo anterior.

Ou seja, é preciso preencher, imprimir e assinar o formulário, recolher a documentação, pagar a taxa administrativa, imprimir o comprovante de pagamento e protocolizar o pedido na sede do conselho ou na delegacia sub-regional ou seccional mais próxima.

A inscrição será submetida à análise da comissão, que poderá solicitar documentos adicionais.

Por fim, ela vai elaborar um parecer e, com tudo certo, você terá o seu registro junto ao CRECI.

Com ele em mãos, é hora de partir para o mercado.

Mas será como empregado ou como empreendedor?

No próximo tópico, darei uma excelente dica sobre isso.

Corretor de imóveis pode se tornar MEI?

O forma de empresa do MEI, microempreendedor individual, é um dos mais atrativos do país.

Não por acaso, é um dos que mais cresce.

Hoje, já são mais de 7 milhões de MEIs em todo o Brasil.

Imagem 4 -CRECI o que é, por que é importante e como tirar
O corretor não se enquadra na modalidade MEI, mas com o Simples Nacional poderá optar pelo regime tributário simplificado.

Ele é indicado para quem trabalha por conta própria, fatura até R$ 60 mil ao ano (será R$ 81 mil em 2018), tem no máximo um funcionário contratado e não é titular e nem sócio de nenhuma outra empresa.

Ele é isento dos tributos federais, paga uma taxa mensal simbólica, possui alguns benefícios previdenciários e tem direito à emissão de nota fiscal e ao CNPJ.

Para se ter ideia de como é interessante fazer o cadastro como MEI, o prestador de serviços contribui, em 2017, com apenas R$ 51,85 mensais.

Nesse valor, estão inclusos a sua contribuição ao INSS e o pagamento do Imposto Sobre Serviços, ISS.

É só isso e nada mais.

Mas será que você, corretor, pode ser um MEI?

A resposta é não, infelizmente.

De acordo com a legislação, o corretor de imóveis não se enquadra nessa modalidade.

Mas não desanime.

Você pode abrir uma microempresa, que é uma evolução natural do MEI, conforme ele ultrapassa o seu limite de faturamento.

Ou seja, com uma microempresa, você pode ganhar mais.

Embora pague mais impostos que o MEI, é possível optar pelo regime tributário simplificado para o recolhimento deles, o Simples Nacional.

E quer mais uma boa notícia?

O CRECI conseguiu, em 2014, uma redução da carga tributária de 17% para 6% para os corretores de imóveis, que já está valendo desde  janeiro de 2015.

Dessa forma, o corretor pode fazer a opção pelo anexo III do Simples Nacional, em que ele paga apenas 4,5% na primeira faixa da tributação ao invés de 17% sobre o faturamento.

Basta para isso estar no Simples Nacional e ter contabilidade.

Esse é um regime tributário simplificado para empresas que faturam até R$ 3,6 milhões no ano.

O cálculo do imposto é bastante simples: basta somar o valor das notas fiscais emitidas.

Se o faturamento mensal for de R$ 30 mil, por exemplo, é só multiplicar pela alíquota estabelecida em percentual.

Se for 6%, por exemplo, ficaria em R$ 1.800 de impostos.

Essa é a opção mais vantajosa, mas é sempre bom ouvir o que seu contador tem a dizer.

Ele é um ótimo parceiro e consultor de negócios.

Se você estiver atuando como autônomo, vai ter retenção de INSS e Imposto de Renda na fonte quando a imobiliária efetuar o pagamento.

Já no caso do Lucro Presumido, além dos 17% dos tributos sobre a comissão, você ainda terá 12% de IRPF e INSS sobre pró-labore, por exemplo.

9 dicas para tirar seu CRECI e ser um corretor de sucesso

Antes de mais nada, você precisa ter a certeza de que quer mesmo ser um corretor de imóveis.

Esse trabalho é uma verdadeira luta diária por vendas para você poder garantir o seu sustento no final do mês.

Sem as vendas, nada de contas pagas e nada de viagens com a família.

Imagem 5 -CRECI o que é, por que é importante e como tirar
Tenha em mente o sucesso e não se deixe abater, mantenha um trabalho focado e estratégico.

Mas com um trabalho focado e estratégico, sem dúvida você vai ganhar muito mais do que pode imaginar.

É isso mesmo que quer?

Então, vá atrás do seu CRECI e aproveite todas as vantagens do curso.

Como qualquer outra área de atuação, você deve se capacitar e ser um excelente profissional.

Para ajudar, separei dicas bem legais para você se tornar um corretor de imóveis de sucesso.

1. Nunca pare de se capacitar

Todos os profissionais, independentemente da área de atuação, precisam se capacitar constantemente para acompanhar as novidades em seus mercados.

Isso não é diferente com o corretor de imóveis.

A internet disponibiliza uma enorme gama de artigos, publicações, conteúdos, cursos e e-books para quem trabalha com imóveis.

Fique atento às mudanças e novidades e se atualize.

2. Tenha cuidado ao escolher a imobiliária

A imobiliária em que você vai trabalhar não só deve ser correta com relação às regras e procedimentos, incluindo questões ligadas ao pagamento.

Ela também deve ter valores éticos bem definidos.

É importante que saiba valorizar a equipe e incentivar o bom relacionamento entre os corretores e as boas práticas das negociações.

Saiba com que tipo de imóveis a imobiliária trabalha, como funciona o sistema de cadastro e se ele é amigável para o seu trabalho, além do perfil dos clientes.

Avalie se tudo isso está dentro das suas expectativas e se é possível fazer uma boa parceria de trabalho.

Pesquise a reputação da imobiliária na internet, fale com mais pessoas e tenha certeza de estar ingressando em um bom ambiente de trabalho.

3. Explore ao máximo as ferramentas de divulgação

Pode ter certeza de que a maioria dos clientes estão na internet.

Imagem 6 -CRECI o que é, por que é importante e como tirar
A internet pode ser mais uma alternativa para te auxiliar nas vendas. Não deixe de divulgar!

Ela é um excelente lugar para você focar os seus esforços em prospecção.

Divulgue os imóveis em sites especializados, com fotos atrativas e com informações importantes para quem acessar.

As redes sociais são também uma ótima alternativa para divulgação.

Você não precisa se limitar apenas aos seus amigos.

O Facebook permite que você faça campanhas e pague um valor para que aquilo que divulgar chegue até os clientes potenciais, que são aqueles que realmente se interessam por aquele imóvel.

Se quiser aprimorar ainda mais o seu trabalho e mostrar que você é uma autoridade quando se trata de imóveis, crie um site e inclua nele o seu blog.

Escreva sobre assuntos relevantes e que mostrem que você é realmente um especialista no seu meio.

Para facilitar, existem ferramentas gratuitas para a criação de sites e que não requerem conhecimentos em programação para você fazer o seu.

4. Seja um empreendedor

Lembre-se de que você é um empreendedor, alguém que tem autonomia e que sabe o que é melhor para o seu cliente.

Assuma uma postura de dono do negócio e se esforce para garantir o seu resultado e os seus ganhos.

Não espere, faça! Vá para a ação.

Todo o seu trabalho deve ser realizado de acordo com essa estratégia.

Você vai perceber que conseguirá fechar muito mais negócios se tiver uma postura empreendedora.

5. Conheça o seu cliente

Escute o seu cliente e procure entender a mensagem que ele quer passar.

Nem sempre ele vai te dizer exatamente o que precisa.

Algumas vezes, sequer tem certeza do que é melhor para ele.

Você deve ser muito estratégico ao ponto de captar aquilo que é dito nas entrelinhas.

Se coloque no lugar do cliente e entenda que tipo de informações sobre o imóvel ele gostaria de receber.

Entenda como devem ser as fotos da casa ou apartamento para que ele tenha certeza de como é o espaço.

Ele precisa ter certeza sobre quais as vantagens em morar naquela região para quem tem uma família ou para quem é solteiro.

Não perca tempo.

Estude a sua região e o seu cliente.

Ofereça exatamente o que ele quer.

Isso vai te dar muitos pontos positivos.

Afinal, ele também não quer perder tempo.

Seria muito interessante o corretor que o atende oferecer apenas opções que estejam dentro daquilo que ele espera.

Se entender o que ele quer e for por esse caminho atendem, você terá muito mais chances de fechar o negócio e ainda vai receber recomendações do seu trabalho.

6. Cuide da sua apresentação

Imagem 7 -CRECI o que é, por que é importante e como tirar
Inserir A aparência também é algo importante, principalmente para aqueles que lidam diretamente com o consumidor.

Qualquer venda presencial requer cuidados com a aparência.

Uma roupa neutra e bem apresentável e o cuidado com os cabelos e com a maquiagem são essenciais para passar confiança e seriedade.

Fale de forma clara e objetiva, mantenha-se focado no seu trabalho e cuide muito bem da sua higiene pessoal.

A simpatia é uma arma a seu favor.

Um toque de humor na dose e na hora certa vai aproximar muito o seu cliente de você.

7. Seja honesto

Todas as pessoas gostam de fazer negócios com quem é honesto.

Hoje em dia, não existe mais espaço para vendedores que tentam enganar o cliente.

Seja honesto para dizer que talvez aquele imóvel não o atenda tão bem e que existe uma alternativa mais interessante.

Pode ter certeza que você receberá muitos pontos positivos pela sua honestidade.

Tentar esconder informações não vai ajudar em nada.

Cedo ou tarde, o cliente vai saber a verdade e aí a sua reputação vai por água abaixo.

Seja também honesto com os seus colegas de trabalho e procure atuar em parceria.

O seu colega deve ser um aliado para ajudar um cliente, afinal, esse é o objetivo maior do trabalho.

8. Dê ao seu cliente o tempo que ele precisa

Talvez o cliente não tenha mais entrado em contato com você porque ele não tem condições de comprar o imóvel.

Talvez ele tenha mudados os planos e não está mais interessado.

Ou talvez ele estava apenas especulando.

Não importa qual é o contexto – na maioria das vezes, você nem sequer vai saber.

Se você fez um bom trabalho, se o atendeu bem, entendeu as suas necessidades e mostrou os imóveis que estavam dentro do seu perfil, ele vai voltar a falar com você.

Mas e se ele não ligar?

Então, talvez não esteja interessado, simples assim!

É claro que você deve fazer algum contato com o seu cliente, até porque ele pode ter perdido o seu telefone, pode estar muito atarefado ao ponto de não conseguir te ligar ou pode estar com outras prioridades.

É importante você ligar para saber se está tudo bem e se ele tem real interesse na compra, mas isso não significa que você deve contatá-lo diversas vezes ao dia.

Ligue, mostre que você está ali caso ele precise de mais informações.

Mas evite que a boa impressão que ele teve de você acabe se transformando em um verdadeiro inconveniente.

9. Não venda, resolva problemas

O perfil de clientes mudou de alguns anos para cá.

Ninguém mais acredita em histórias de vendedores para receber comissão.

Considere que a casa que a pessoa quer comprar é o sonho da vida dela e você pode ajudar a realizá-lo.

Não fique empurrando o imóvel para o cliente.

Tente se colocar no lugar dele e entender como esse imóvel pode resolver um problema, facilitar uma situação ou fazer com que o cliente se sinta mais feliz.

Esse é o foco do seu trabalho.

Ele deve enxergar você como alguém que pode ajudá-lo a ser mais feliz.

Conclusão

Obter o seu número de registro no CRECI é um passo fundamental para ingressar na carreira de corretor de imóveis.

Imagem 8 -CRECI o que é, por que é importante e como tirar
Agora que você já descobriu todas as dicas para ser um corretor de sucesso, comece agora mesmo!

Neste artigo, você viu como esse órgão funciona, para que serve e como pode ajudá-lo.

Agora, se quer fazer dessa a sua profissão, comece a planejar.

A concorrência certamente é grande, mas sempre há espaço para os melhores.

Use as dicas que conferiu hoje para construir um diferencial competitivo a partir do seu atendimento e da sua necessidade.

Seja o provedor de soluções que o seu cliente precisa.

Não há melhor forma para alcançar o sucesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *