Posted in:

Cooperativismo: como essa tendência pode ajudá-lo a tirar seu negócio do papel?

Imagem 8 - Cooperativismo como essa tendência pode ajudá-lo a tirar seu negócio do papel

Você já parou para pensar como o cooperativismo pode beneficiar o seu negócio?

Ou você nem mesmo sabe o que é cooperativismo?

Se algumas dessas perguntas interessam, no artigo de hoje, vou apresentar o conceito e mostrar como essa pode ser uma boa oportunidade.

E isso se aplica tanto para empreender como para se juntar a um negócio que já existe.

Esse é um modelo socioeconômico alternativo, que surgiu na Inglaterra em 1844, durante a Revolução Industrial.

Sua origem está relacionada a uma resposta às necessidades de um determinado grupo.

Isso mesmo: o cooperativismo surgiu a partir de uma preocupação e da consciência social, e nisso se baseia até hoje.

Não é apenas economicamente eficiente, mas vai bem além.

O cooperativismo tem provado a sua importância no combate às desigualdades, desempenhando um papel crucial na inclusão social e econômica.

Por consequência, atua no desenvolvimento sustentável do planeta.

Não é a toa que, desde a sua origem, o cooperativismo já se difundiu por todos os continentes.

Quer fazer parte dessa história?

Siga a leitura!

Entenda: o que é o cooperativismo?

O cooperativismo traz uma visão um pouco diferente do mercado tradicional.

Isso ocorre porque um membro aproveita a experiência do outro para evoluir e solucionar os seus próprios problemas.

Essa frase traz a ideia perfeita do que poderia ser a definição de cooperativismo, porque nesse sistema todos dão e todos recebem.

Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, o Sebrae, as cooperativas são organizações formadas por membros de um mesmo grupo econômico ou social.

O objetivo é desempenhar uma determinada atividade visando o benefício da comunidade.

Segundo essa premissa, o modelo deve atender a três princípios básicos:

Imagem 1 - Cooperativismo como essa tendência pode ajudá-lo a tirar seu negócio do papel
Lançando mão das três regras básicas do cooperativismo, o trabalho em grupo em prol do desenvolvimento se torna cultura da empresa.
  • Identidade de propósitos e interesses
  • Ação conjunta, voluntária e objetiva para coordenação de contribuição e serviços
  • Obtenção de resultado útil e comum a todos.

Nesse sentido, é possível observar que o cooperativismo valoriza a colaboração e a associação de pessoas ou grupos que tenham os mesmos interesses.

A proposta é progredir socialmente através da cooperação e do auxílio mútuo e obter vantagens comuns em suas atividades econômicas.

Por isso, os cooperativistas trabalham em equipe para atender necessidades que favoreçam o grupo como um todo.

E aí já deu pra ver que tem muito de empreendedorismo.

Mas não é qualquer empreendedorismo. Vou explicar o porquê.

O que o cooperativismo tem a ver com empreendedorismo?

Sim, o empreendedorismo tem a ver com o capitalismo. Com algumas ressalvas.

A verdade é que o empreendedor capitalista busca o lucro em favor próprio, enquanto os empreendedores cooperativos buscam vantagens para todo o grupo.

Ou seja, é coletividade e não individualismo.

Obviamente, as vantagens não são de ordem apenas financeira.

Quer exemplos?

Cooperativas de produção ganham em escala, proporcionando melhores negociações.

Cooperativas de consumo, ganham vantagens na forma de descontos na compra de produtos de boa qualidade para todos.

Cooperativas de trabalho, podem ganhar espaços coworking para cooperados, por exemplo.

E por aí vai.

Além disso, enquanto o empreendedor capitalista age conforme as regras do mercado, os empreendedores cooperativos se guiam pela democracia e pela ética.

Eles seguem os próprios princípios cooperativistas.

Essa maneira de empreender cooperativista pode ser observada na própria forma de gestão das empresas.

Enquanto o empreendedor capitalista decide baseado na capacidade de investimento individual de cada membro, em uma cooperativa, todos têm o mesmo poder igualitário de decisão.

Imagem 2 - Cooperativismo como essa tendência pode ajudá-lo a tirar seu negócio do papel
A relação patrão x empregado, cai por terra com o surgimento da cultura cooperativista nas empresas.

Por isso, o cooperativismo no empreendedorismo pode ser tão benéfico para o Brasil.

Não apenas pela inspiração trazida pelos princípios éticos e democráticos, mas o empreendedorismo cooperativista também acaba com a dualidade patrão x empregado.

Afinal, todos os cooperados são, simultaneamente, proprietários e trabalhadores.

Com isso, superam as barreiras entre o trabalho intelectual e o trabalho manual.

Assim, se incentiva o desenvolvimento de mais habilidades técnicas e criativas em todo o grupo.

Logo, esse modelo de empreendedorismo funciona como um acelerador do progresso coletivo, colaborando também com o desenvolvimento socioeconômico brasileiro.

Além disso, outro benefício do empreendedorismo cooperativista para o Brasil é ser uma alternativa viável, que assegura a livre iniciativa e a propriedade privada.

Ao mesmo tempo, trabalha pelo bem-estar e pelo desenvolvimento coletivo.

Dessa forma, contribui para a diminuição do desemprego também.

Qual o significado de empreendedorismo cooperado?

O empreendedorismo cooperado está relacionado a quem empreende de maneira intuitiva e criativa, como um artesão, por exemplo.

Eles se unem a cooperativas de trabalho, pois isso oferece baixo risco.

Geralmente, como dispõem de poucos recursos e têm como meta crescer até se tornarem empreendedores independentes, essa união se torna vantajosa.

O trabalho em equipe é essencial para o empreendedorismo cooperado.

Entre os pequenos negócios, esse modelo pode ser decisivo para a manutenção de empresas e também para o seu crescimento.

Quando sozinhas, pode ser difícil acessar inovações tecnológicas e serviços financeiros, mas em cooperativa, isso se torna mais acessível.

Além disso, vale citar que, como “a união faz a força”, muitos empreendimentos de renome tiveram origem à partir desse espírito de equipe.

Por que o cooperativismo é uma ótima solução para tirar seu negócio do papel?

O cooperativismo pode ser um ótimo start para o seu negócio.

Nesse caso, em vez de um único empreendedor, motivado com uma ideia, há um grupo de empreendedores.

Eles partilham de um projeto, mobilizam recursos e concretizam ações.

Imagem 3 - Cooperativismo como essa tendência pode ajudá-lo a tirar seu negócio do papel
Por meio do cooperativismo novas ideias, habilidades e conhecimentos são trazidos para a empresa.

Dessa forma, todos os indivíduos do grupo agem coletivamente, identificando necessidades que precisam ser satisfeitas.

A partir delas, constroem soluções.

Também se reúnem na mesma estrutura, sendo todos, ao mesmo tempo, proprietários e trabalhadores da organização.

Quanto mais pessoas se envolvem para realizar um projeto, mais braços existem para realizá-lo, mais cabeças para pensar e mais forças para executá-lo.

É isso que faz com que ele se torne viável.

Certamente, isso também traz mais opiniões a debater, também algumas divergências e discussões.

Por outro lado, quando bem aproveitadas, podem ser o ponto de partida para o aperfeiçoamento de muito projetos e produtos.

Empreender em um negócio cooperativo pode ser uma forma de viabilizar projetos, concretizar negócios por meio de uma reunião de um grupo de empreendedores com os mesmos objetivos.

É a solução para agregar ainda mais ideias, recursos, habilidade e conhecimentos.

7 vantagens do cooperativismo

Ao longo do texto, já pude destacar algumas vantagens do cooperativismo.

Mas esse é essencial focar nos 7 principais benefícios desse modelo.

Vamos conhecê-los?

1. Adesão não compulsória

As cooperativas são organizações voluntárias abertas a todas as pessoas aptas a utilizar os seus serviços e assumir as responsabilidades como membros, sem qualquer discriminação.

Isso quer dizer que, nos termos da lei, o acesso é livre a quem tenha interesse em cooperar.

Ninguém pode ser obrigado ou compelido a ingressar ou a permanecer na cooperativa.

Um passo importante é considerar sua aptidão para fazer parte de uma cooperativa, além de atender às condições legais e estatutárias.

O fato de atender ao valor da liberdade e igualdade é um dos maiores benefícios do cooperativismo.

2. Gestão democrática

As cooperativas são organizações democráticas controladas por seus membros.

Eles participam ativamente na formulação das suas políticas e na tomada de decisões.

Imagem 4 - Cooperativismo como essa tendência pode ajudá-lo a tirar seu negócio do papel
A democracia é a palavra de ordem no cooperativismo.

Nas cooperativas de votos, os membros têm igual direito.

E as cooperativas de grau superior são também organizadas de maneira democrática.

Isso significa que a sociedade cooperativa se guia pelos princípios da própria democracia, que pressupõe que todos os membros devem atuar de maneira igualmente responsável.

Participar da vida da cooperativa é uma condição essencial para o seu sucesso.

O regime democrático é uma condição benéfica no cooperativismo e as decisões tomadas pela maioria pressupõem o exercício representativo do poder.

Na cooperativa singular, cada associado tem direito a um voto.

No caso das cooperativas de segundo e terceiro grau, é permitido o voto múltiplo.

O princípio em questão dá vida aos valores da democracia, da igualdade, da transparência e da responsabilidade.

3. Participação econômica

Os membros contribuem igualmente para o capital das suas cooperativas e controlam-no democraticamente.

Parte desse capital é, normalmente, propriedade comum da cooperativa.

Os membros podem receber, habitualmente, havendo condições econômico financeiras para tanto, uma remuneração sobre o capital integralizado.

A cooperativa tem início e se desenvolve a partir do investimento em patrimônio, baseada no capital social e na suas reservas financeiras.

Portanto, o empreendedor cooperado tem benefícios operacionais associativos que colhe ao contribuir para a formação desse patrimônio.

Se, por um lado, você tem a responsabilidade, de outro, os demais cooperados também têm de fazer a sua parte para que o esforço individual seja proporcionalmente distribuído para que todos os envolvidos se beneficiem.

Aqui, o maior benefício é a responsabilidade e a solidariedade exercida entre todos os membros.

4. Autonomia e independência

As cooperativas têm autonomia, baseada na ajuda mútua, controlada pelos seus membros.

Assim, se firmarem acordos com outras organizações, incluindo instituições públicas, ou recorrerem ao capital externo, devem fazer isso em condições que assegurem o controle democrático.

O empreendimento cooperativo precisa ser autônomo e independente.

Isso garante na excelente tomada de decisão e na gestão entre os membros.

Do mesmo modo, o sucesso ou o insucesso da cooperativa, apenas afetam os seus membros, sem influência externa.

O maior benefício envolvido nesse processo é a garantia à democracia, à transparência e à honestidade.

Não existe conflito de interesse ou troca de favores, pois se prima pelo bem comum.

5. Educação, formação e informação

As cooperativas também promovem a educação e a formação dos seus membros e dos cooperados, para aprimorar o conhecimento e auxiliar no seu desenvolvimento.

A boa prática do empreendedorismo cooperativo garante a sua expansão entre os diferentes grupos, preparando todas as esferas para contribuir como dirigente, conselheiro, diretor, colaborador ou demais cargos.

As cooperativas acreditam que seus membros precisam estar preparados para se manterem firmes, mesmo em tempos de “vacas magras”.

Por isso, garantem o conhecimento como solução a essa necessidade.

Essa é uma grande vantagem da cooperação, que vê na educação, na formação e na informação, as grandes chaves para o sucesso.

Investem em iniciativas muito bem estruturadas nesse sentido, pois isso também garante a longevidade e o sucesso do próprio cooperativismo.

Mais uma vez, é possível observar a responsabilidade do cooperativismo em educar os seus participantes.

6. Intercooperação

O cooperativismo tem como foco central servir os seus participantes de forma eficaz, trabalhando em conjunto através de estruturas interestabelecidas.

Imagem 5 - Cooperativismo como essa tendência pode ajudá-lo a tirar seu negócio do papel
Sabia que com a intercooperação o empreendedor consegue fazer reduções significativa de gastos.

Essa intercooperação já começa na base, onde empreendedores cooperativistas de diferentes ramos operam entre si.

Ela é bem-vinda quando um novo integrante do sistema está chegando ou quando busca assistência, mesmo que seja ocasional.

Todos os esforços são feitos entre os empreendedores para ajudar o próprio grupo, permitindo ganhos em conjunto, fazendo com que os cooperados adquiram força de mercado.

O padrão profissional e das soluções de negócio também são um dos resultados imediatos dessa integração.

Os benefícios em redução de gastos permitem que o empreendedor possa investir na sua empresa.

A comunhão de esforços garante representatividade e implica em benefícios de múltiplo interesse de todos.

É uma das formas de se praticar a solidariedade no cooperativismo, de modo que os empreendedores se desenvolvam e se mantenham saudáveis.

7. Interesse em comunidade

O cooperativismo viabiliza o desenvolvimento sustentável das suas comunidades através de políticas aprovadas por todos os membros.

Assim, os interesses aprovados são comuns, baseados nos valores e princípios dos empreendedores cooperativistas.

Isso fomenta a qualificação de um modelo mais autêntico, com iniciativa socioeconômica de caráter comunitário.

Assim, todas as decisões são tomadas em respeito às peculiaridades sociais e a vocação econômica do local, desenvolvendo soluções de negócios que beneficiem a maioria.

Adotar os interesses de todos os cooperados é um grande benefício do cooperativismo e também um grande valor de responsabilidade social.

De qualquer forma, o foco central é fortalecer o seu negócio.

Todos esses elementos elevam o sentido do cooperativismo e demonstram como os benefícios para sua empresa podem ser legítimos.

É claro que esses benefícios são relacionados ao cooperativismo.

No entanto, as pessoas e mentes associadas também precisam estar de acordo aos mesmos valores e interesses.

O empreendedorismo cooperado é para você?

Como já mencionei antes, os benefícios são evidentes, mas você precisa parar e pensar se o empreendedorismo cooperado é mesmo para você.

Enquanto o empreendedor capitalista tradicional vai buscar ter o maior lucro possível para sua empresa, o empreendedor cooperativista vai sempre buscar vantagens que beneficiem todo o grupo, mesmo que elas não sejam de ordem puramente financeira.

É claro que a crise, em sua forma atual, ataca o capitalismo e pressupõe alguma inovação, então, muitas vezes nem é uma alternativa.

Imagem 6 - Cooperativismo como essa tendência pode ajudá-lo a tirar seu negócio do papel
Na dúvida se o empreendedorismo cooperado é para você? Com esse post você vai esclarecer todas as dúvidas!

Mas a verdade é que esse modelo de fazer negócio veio como uma nova forma para reorganizar o modelo empresarial tradicional, sem deixar de assegurar a livre iniciativa e a propriedade privada.

Portanto, se essas são suas maiores preocupações, pode não ser uma grande problema para você.

Além disso, se você é daquelas pessoas que preza pela ética e pela democracia, o cooperativismo gera um ambiente propício a esses princípios dentro das organizações.

Por outro lado, também pressupõe a cultura do desapego ao poder estabelecido com base no capital investido e a participação nos resultados proporcional à conduta proativa do empreendedor.

Na maior parte dos casos, todos têm a mesma fatia de voto na hora de tomar uma decisão.

Em países desenvolvidos, o cooperativismo já se mostrou uma forma de fazer negócio que favorece o desenvolvimento econômico e social do empreendedor.

Com tantos benefícios, o que você acha de começar já?

Tipos de CNPJ que podem investir no cooperativismo

É bem interessante observar que os segmentos de atuação do cooperativismo são bem amplos.

A Organização das Cooperativas Brasileiras estabelece 13 setores, a saber:

  1. Consumo
  2. Trabalho
  3. Educação
  4. Transporte
  5. Agropecuária
  6. Saúde
  7. Crédito
  8. Habitação
  9. Produção
  10. Especial (portadores de necessidades especiais)
  11. Infraestrutura
  12. Mineral
  13. Turismo e Lazer.

Todos esses ramos são passíveis de investimos por empreendedores cooperativistas, mas alguns merecem destaque pelo seu potencial.

O setor de consumo, por exemplo, garante a possibilidade de compras conjuntas, com a chance de adquirir produtos com preços mais baixos, melhores condições e prazos de pagamento junto aos fornecedores.

Além disso, no cooperativismo, é possível unir os profissionais que antes eram autônomos ou liberais.

No transporte, por sua vez, ocorre a prestação dos serviços de transporte de cargas ou de passageiros.

Nas agropecuárias, que é um dos setores mais tradicionais do cooperativismo, todo o tipo de atividade rural, agropastoril e de pesca também seguem o mesmo modelo.

Ou seja, não faltam boas opções a explorar.

Pontos de alerta sobre o cooperativismo

Antes de ser um empreendedor cooperativista, você deve ficar atento a alguns pontos importantes.

O primeiro passo é entender esse modelo, através da leitura cuidadosa deste artigo e buscar outras referências.

Então, avaliar se ele é realmente o mais indicado para os seus objetivos e dos demais associados nesse momento.

Caso você decida que realmente esse modelo é para você, é preciso verificar se já existe alguma empresa nesses moldes na sua comunidades ou nas proximidades.

Caso já exista alguma, o mais indicado é você se fundir a ela.

A partir daí, o mais importante é reunir os interessados na criação da cooperativa e garantir que, juntos, vocês possam reunir o capital necessário para viabilizar a proposta de negócio.

Também é preciso analisar se o volume de cooperados viabiliza as operações.

Antes de se associar ao cooperativismo, você também deve avaliar o comprometimento das empresas envolvidas na questão.

Não basta ter nome, é preciso ter capital, mão de obra e esforços canalizados para que a cooperativa se mantenha a todo vapor e em pleno funcionamento.

Se você pretende se associar ao cooperativismo, precisa ficar de olho a outro aspecto relevante que é o fato de existirem ou não interessados para que a cooperativa possa ter longevidade.

Também verificar se existe interesse para que novos cooperados venham a ingressar nesse modelo no futuro.

O objetivo é que o cooperativismo no qual você está se inserindo seja um sistema sustentável.

Perceba como é importante realizar uma pesquisa, somada a um estudo de viabilidade econômica para encontrar as respostas que você busca.

Além disso, os associados devem estar engajados, envolvidos e interessados em trabalhar a favor do grupo, pela equipe.

Muitas vezes, os desafios de manutenção de uma cooperativa se concentram nas dificuldades para trabalhar em equipe.

É sempre bom ter bem claro quais os seus deveres e obrigações em um sistema cooperativista para que você não seja pego de surpresa.

Lembre-se de que essa não é apenas uma estratégia para ganhar desconto, reduzir encargos ou ter benefícios.

Trata-se de trabalhar para impulsionar o bem do grupo.

Assim, os objetivos vão muito além!

Conclusão

Finalizando este artigo, tenho certeza que você entendeu que o cooperativismo não é apenas um modelo de negócio.

Esse sistema é mais do que isso, porque se trata de uma forma de organizar a operação, de ver o trabalho a partir da sua colaboração individual para alcançar benefícios coletivos.

Imagem 7 - Cooperativismo como essa tendência pode ajudá-lo a tirar seu negócio do papel
O cooperativismo não é apenas um modelo de negócio e sim um modelo que integra todos os sistemas organizando as operações de trabalho.

Você, como associado fará parte disso e se compromete a dar o seu melhor para tal.

Não é fácil, mas é uma obrigação e é o seu melhor.

E se você gostou do cooperativismo, entendeu que é pra você e gostou deste projeto promissor, busque ampliar os seus conhecimentos.

É hora de pensar a respeito e estudar a fundo sobre isso.

Não deixe de elaborar um planejamento detalhado, pois estamos falando da abertura de uma empresa como qualquer outra.

Sem estratégia, não há como dar certo.

Tenha certeza de que esse é o caminho mais adequado às suas expectativas, que vai te ajudar a alcançar os seus objetivos e pretensões.

Sobretudo, tenha certeza do seu compromisso com o bem coletivo.

Dessa maneira, não deixe de buscar todo o auxílio que for necessário, para que você possa ser um empreendedor cooperativista de sucesso e que colha muitos frutos a seu favor e a favor dos seus parceiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *