Posted in:

Business Model Canvas: Como estruturar a sua empresa?

Business model canvas: Conheca vantagens desse modelo inovador

Esqueça os planos de negócios com diversas páginas e uma porção de números: com o Business Model Canvas, fica muito mais fácil e prático projetar uma empresa ou mesmo analisar um negócio já existente.

Fruto de um trabalho colaborativo com mais de 200 especialistas, o Business Model Canvas funciona como um simples diagrama.

Mas ele não tem nada de simples.

Por meio desse diagrama, é possível analisar os aspectos mais relevantes de qualquer negócio.

A grande vantagem do Business Model Canvas é a praticidade: ele permite visualizar nove pontos relevantes do negócio de uma única vez.

Na prática, fica muito fácil e ágil entender como uma empresa funciona ou vai funcionar,

Mas quais são, afinal, esses nove quadros? Como utilizar o Business Model Canvas na prática? Como esse método surgiu e onde ele pode ser aplicado?

A resposta para essas e outras perguntas você confere a seguir. 

Destrinchamos o Business Model Canvas para convencer você de que o plano de negócios não precisa ser um bicho de sete cabeças.

Vamos em frente?

Se desejar, navegue pelos seguintes tópicos:

Boa leitura!

O que é Business Model Canvas?

A definição é simples: o Business Model Canvas é uma ferramenta de gerenciamento estratégico utilizada pelas empresas.Business model canvas: O que é?

Em formato de diagrama, ela permite esboçar e planejar modelos de negócios novos ou já existentes.

Esse diagrama é composto por nove quadros e funciona como um mapa visual pré-formatado, com o conteúdo variando de empresa para empresa.

Juntos, os nove blocos de informações que compõem o Business Model Canvas permitem traçar um panorama geral da empresa, além de visualizar os aspectos mais importantes do modelo de negócio. 

Esse diagrama pode ser montado em um quadro, em uma folha ou mesmo em um slide.

Também pode ser produzido em papel ou de forma online, a partir de ferramentas disponibilizadas na internet.

Canvas significado

Em inglês, a palavra “canvas” significa tela ou quadro, e é comumente utilizada para designar um quadro de pintura.

Já a expressão Business Model Canvas poderia ser traduzida, livremente, como “quadro de modelo de negócios”.

A apropriação do termo utilizado para quadro (canvas) ocorre porque o diagrama gerado por esse modelo acaba sendo semelhante a esse instrumento.

Depois de finalizado, o Business Model Canvas se transforma em um documento único: a ilustração é completamente diferente de um modelo de negócio com dezenas de páginas.

Em um slide, uma folha ou um quadro negro, por exemplo, é possível analisar os aspectos mais relevantes de um plano de negócio, obtendo uma visão geral sobre a empresa que está nascendo ou que já existe.

Entendeu a semelhança do Business Model Canvas com um quadro? 

Como o Canvas foi criado?

O Business Model Canvas foi criado pelo suíço Alexander Osterwalder, e teve como base o seu trabalho anterior sobre Business Model Ontology.

Ele teve a ideia de criar um diagrama que permitisse montar um plano de negócios diante da dificuldade atrelada à execução de planos de negócios tradicionais, além da falta de consenso sobre a definição exata de um plano de negócios.

Ele percebeu que algumas empresas viam o plano de negócios de uma maneira, enquanto outras enxergavam esse documento de forma bem diferente. 

Ao mesmo tempo, especialistas e estudiosos também divergiam.

Em busca de um consenso, Osterwalder iniciou sua tese de doutorado, que daria origem ao Business Model Canvas.

Ele percebeu que simplesmente definir um conceito para plano de negócios não era suficiente. Era necessário estimular a inovação, a prototipação e a criação colaborativa.

O modelo final, com nove blocos, que é conhecido e aplicado até hoje, foi gerado por um esforço colaborativo com mais de 200 consultores de negócio de todo o mundo.

Talvez isso explique por que o Business Model Canvas tem feito tanto sucesso.

Ele já nasceu de um trabalho colaborativo, e funciona como uma resposta a uma necessidade verificada por diversos especialistas com visões diferentes sobre o tema.

O Business Model Canvas é utilizado por micro empresas, e também por algumas das maiores companhias do mundo, como 3M, General Electric, Microsoft e Intel.

Osterwalder atualmente é professor na área de administração e gestão de empresas, e também trabalha como consultor de negócios. 

É necessário ter um modelo de negócio para começar uma empresa?

Toda e qualquer empresa que se imagina bem-sucedida no médio e longo prazo precisa de planejamento.

Business model canvas: Necessário ter um modelo negócio para começar empresa?Se não houver planejamento, o risco de cometer erros que poderiam ser evitados é bastante alto.

Planejar significa entender o seu produto ou serviço, conhecer o público-alvo, definir qual será a fonte de receita e como as despesas serão administradas para se chegar ao resultado necessário.

Nas empresas, esse planejamento é incorporado pelo plano de negócios.

O plano de negócios vai mostrar todas as etapas de vida da empresa, detalhando seus objetivos em cada etapa e explicando como esses objetivos serão atingidos.

Uma empresa que não passa por esse planejamento só conseguirá sobreviver no mercado se os empreendedores por trás dela tiverem um índice significativo de acerto na tomada de decisões – o que dependerá bastante de sorte, também.

Em um mercado cada vez mais competitivo e que não aceita ineficiência, é praticamente suicídio tocar um empreendimento sem um modelo de negócio elaborado previamente.

Além disso, um modelo de negócio sólido, geralmente, é uma condição para quem deseja pleitear recursos de investidores externos ou mesmo fazer empréstimos junto a instituições financeiras que fomentam o empreendedorismo.

Plano de negócios Canvas: Quais são as vantagens?

Quando você olha para o Business Model Canvas, você vê um simples diagrama, enquanto os planos de negócios tradicionais são documentos de diversas páginas repletos de informações.Business model canvas: Plano negócios quais são vantagens

A vantagem do Canvas – e o que o torna tão popular – é justamente a simplicidade gerada por esse diagrama.

A ideia central do Business Model Canvas é permitir que um negócio (qualquer negócio) seja completamente visualizado em uma única página.

Todos os aspectos importantes em uma única tela.

Entendeu como ele se torna muito mais prático e tem uma usabilidade maior do que um documento tradicional?

Para ser visualizado em uma única página, o Business Model Canvas consiste em um quadro, dividido em nove componentes.

Esses nove componentes cobrem as quatro áreas consideradas principais de qualquer negócio: os clientes, a oferta, a infraestrutura e a viabilidade financeira.

Simplicidade

Depois do que vimos, para listar as vantagens desse modelo, a primeira precisa ser a simplicidade.

Porque várias e várias páginas dão lugar a um quadro ilustrado.

Praticidade

A segunda vantagem é a praticidade, porque o Canvas é um diagrama muito fácil de utilizar, que se aplica a qualquer empresa.

Versatilidade

A terceira vantagem é a versatilidade, que também está relacionada ao fato de o Canvas poder ser utilizado tanto em empresas menores, que já estão há décadas no mercado, como por outras que ainda não saíram do papel.

Colaboração

Uma quarta vantagem relacionada ao Canvas é a colaboração. 

Quando você coloca o diagrama em uma tela ou em uma folha, é possível atuar em conjunto com diversas outras pessoas para analisar o plano de negócios.

Visão global

Outra vantagem mais específica do Canvas é o fato de ele permitir uma visão global sobre a empresa, uma abordagem que se torna muito mais complexa quando é feita de outras maneiras.

E, ao mesmo tempo em que o Business Model Canvas permite essa visualização ampla, ele também possibilita entrar em detalhes.

Isso ocorre porque enumera os aspectos mais relevantes de cada um dos nove elementos relacionados no quadro.

Isso facilita a identificação dos pontos fortes de cada ponto específico.

Então, além de permitir a abordagem ampla, ele também permite a abordagem específica.

Deu pra entender como o Canvas é um modelo de enorme usabilidade?

Proposta de valor Canvas: O que diferencia este modelos dos convencionais?

Você já entendeu quais são as principais vantagens do Business Model Canvas, então, pode soar um pouco repetitivo explicar as diferenças do Canvas para os planos de negócios convencionais.

Business model canvas - Proposta de valor: O que diferencia este modelos dos convencionaisMas é importante abordar essa questão novamente, para não restar nenhuma dúvida.

Isso vale especialmente para extrair valor da ferramenta para o seu negócio.

Então, vamos a um exercício.

Pense, por alguns instantes, em como funciona um plano de negócios tradicional.

Trata-se de um documento com diversas páginas, repleto de informações relevantes sobre o planejamento da empresa.

Perceba que ninguém quer, aqui, desconstruir o modelo tradicional, nem negar a sua importância.

O foco é explicar as diferenças e vantagens dessa abordagem alternativa, que não substitui completamente o modelo tradicional, mas oferece um novo olhar para essa questão.

Continuando: ao contrário do modelo tradicional, que possui diversas páginas para abordar o plano de negócios, o Business Model Canvas consegue reunir essas informações em um único quadro.

Esse é o grande diferencial.

Desse diferencial, resultam outros, como a praticidade, a versatilidade e o trabalho colaborativo.

Esse diagrama com nove pontos pode ser aplicado a qualquer empresa.

E o seu caráter de diagrama/mapa permite que diversas pessoas trabalhem ao mesmo tempo em cima das informações, o que, definitivamente, não é possível em um texto com diversas páginas, concorda?

Como funciona o método Canvas?

O método Canvas funciona como um mapa ou diagrama que reúne os nove aspectos principais de um negócio.

São eles: 

  1. Proposta de valor
  2. Segmento de clientes
  3. Canais
  4. Relacionamento
  5. Receitas
  6. Recursos
  7. Atividades
  8. Parcerias
  9. Estrutura de custos.

Esses nove aspectos estão relacionados às quatro principais áreas de um negócio: infraestrutura (como), oferta (o quê), cliente (quem) e finanças (quanto). 

Este é o Business Model Canvas. 

Para utilizá-lo, basta montar em um quadro, reunir a equipe interessada no assunto e começar a destrinchar cada aspecto relevante da empresa.

Depois de concluído, você terá em mãos um resumo (que não deixa de ser detalhado) do plano de negócios da empresa.Business model canvas: Como funciona método?

Assim, poderá identificar áreas a melhorar dentro da organização que está surgindo ou já existe.

É assim que um Business Model Canvas funciona. 

Mais para frente, vamos explicar como montar o canvas na prática.

O que é um quadro Canvas?

No contexto do Business Model Canvas, o quadro Canvas é o resultado final do trabalho.

Quando você tem os nove aspectos mais relevantes da empresa preenchidos e consegue enxergar de forma ampla e detalhada cada um desses aspectos.

O quadro Canvas nada mais é do que o trabalho final.

Esse quadro pode ser representado em um slide, em uma folha ou em um quadro negro. 

Não importa, porque o resultado e o formato é o mesmo. 

Só muda a maneira como você pretende apresentar ou trabalhar com o conteúdo.

Sempre lembrando que há vantagens em expôr o Canvas em um local da empresa que facilite a sua visualização.

Afinal, só vai funcionar na prática se todos os envolvidos estiverem alinhados com a proposta da empresa.

Quando utilizar o modelo de negócio Canvas?

O Business Model Canvas pode ser utilizado em diversos momentos de uma empresa.

Quando uma organização ainda não passa de uma ideia no papel, utilizar o Business Model Canvas permite traçar um panorama do negócio para entender se ele é factível.

Você consegue avaliar se a proposta está madura para ser levada adiante, ou se faltam aspectos relevantes.

Business model canvas: Quando utilizar modelo negócio?Ao fim do trabalho, você talvez descubra que é preciso reformular a ideia, porque um ou mais fatores previstos no plano de negócios não foram devidamente contemplados.

Além disso, o Business Model Canvas também pode ser utilizado por empresas que estão estagnadas em algum momento da sua vida.

Isso vale para negócios em fase inicial, empresas já consolidadas, mas que encontram dificuldade para crescer, e para outras que já possuem uma enorme tradição no mercado, mas querem se desafiar a continuar crescendo.

Deu para entender que todo mundo pode usar o Business Model Canvas?

De uma forma geral, no entanto, recomenda-se utilizar esse diagrama quando você está projetando uma empresa, quando está insatisfeito com os resultados de uma organização já existente, quando quer aumentar a eficiência da empresa e sua participação no mercado, e quando quer entender o seu negócio ou de outra pessoa.

Em todas essas ocasiões – e em várias outras – o Canvas terá utilidade para quem o aplica.

Canvas: Como fazer?

Chegamos, finalmente, à parte prática do Business Model Canvas.

A partir de agora, você vai entender, de maneira simplificada, como fazer um Canvas.

O primeiro passo é gerar o diagrama com os nove aspectos fundamentais do negócio: proposta de valor, segmento de clientes, canais, relacionamento, receitas, recursos, atividades, parcerias e estrutura de custos.

Esse diagrama pode ser projetado para que diversas pessoas deem sugestões.

Também pode ser desenhado em um quadro negro e, então, ser montado através de pos-its.

Ou pode ser desenhado em uma folha.

Tudo vai depender de quantas pessoas vão trabalhar no Canvas e quais as suas preferências.

Se você quiser, também pode preencher o Canvas em um formato online. 

Uma boa dica é o site Strategyzer, uma plataforma criada pelo próprio Alexander Osterwalder para facilitar a usabilidade. 

Nesse site, você consegue imprimir o modelo pronto ou preencher pela internet. 

Feito isso, vamos para os nove aspectos relevantes do negócio.

No nosso exemplo, vamos tratar de uma empresa em fase de concepção, mas você pode adaptar os exemplos para um negócio já existente.

Proposta de valor

Na proposta de valor, você (e as outras pessoas que vão trabalhar no Canvas) precisa definir qual é oferta de valor do seu negócio para os clientes.

Quais problemas você vai resolver?

Que benefícios a empresa vai entregar? 

Por que as pessoas vão se interessar pelo seu produto ou serviço? 

O ideal é resumir em uma única frase. 

Tomemos como exemplo uma padaria em um bairro da sua cidade.

A proposta de valor dessa padaria que está sendo criada seria: oferecer produtos de padaria e confeitaria a um custo-benefício excelente e com um atendimento impecável para os consumidores do bairro.

Esses produtos de melhor custo benefício são o valor que a padaria vai gerar aos clientes. 

Segmento de clientes

Aqui, você precisa definir os nichos de clientes.

Qual é o perfil do seu cliente? Onde ele está? Como se comporta? 

A nossa padaria do exemplo poderia ter como clientes os moradores do bairro, os trabalhadores de um escritório localizado nas imediações da empresa e os alunos e funcionários de uma escola na mesma quadra. 

No nosso exemplo, os clientes são definidos muito mais pela localização geográfica, porque a padaria atende a todos. 

Em outras empresas, a coisa muda de figura.

Canais

Os canais definem os caminhos pelos quais a empresa chegará aos clientes.

Como a empresa vai se comunicar? 

Por quais meios?

Com que estratégia de marketing?

No caso da padaria, a comunicação pode ocorrer por meio das redes sociais, do site institucional, da vitrine da padaria e de anúncios, tanto em veículos tradicionais (como rádio e jornal) como em sites ou buscadores, como o Google.

Relacionamento

Aqui, você precisa responder como a sua empresa vai conquistar e manter um bom relacionamento com seus clientes. 

Novamente, o relacionamento pode ser mantido pelas redes sociais, por exemplo.

Também a padaria pode solicitar um cadastro dos clientes, enviando informações de promoções por e-mail, WhatsApp ou SMS, entre outras opções.

Receitas

Como e quanto os clientes terão que pagar pelos benefícios que a empresa oferta?

Além dessa fonte habitual de receita, você precisa listar as outras fontes da empresa, que podem incluir detalhes como aluguel, assinatura e licença, entre outras.

No caso da nossa padaria, a receita é gerada pela venda dos produtos aos clientes e pelo aluguel do espaço para realização de comemorações simples, como aniversários de crianças ou eventos empresariais.

Recursos

Os recursos são os ativos necessários para colocar o negócio para funcionar. 

É preciso elencar tanto os ativos físicos, como maquinário, quanto ativos intelectuais, como recursos humanos.

No caso da padaria, os recursos físicos podem ser a sede da empresa, todos equipamentos necessários para produção dos alimentos, os móveis e a decoração.

Outros recursos seriam os humanos: as pessoas que vão produzir os itens da padaria, atender os clientes e vender os produtos.

É preciso listar, ainda, os recursos necessários para o fluxo de caixa e manutenção do negócio a cada mês.

Atividades

Aqui, você precisa relacionar as atividades mais importantes para entregar os benefícios que listou no primeiro quadrante.

O que é preciso para que a empresa funciona corretamente? 

No caso da padaria, as principais atividades seriam comprar os insumos dos fornecedores, preparar os alimentos, acondicionar, vender, atender os clientes, manter um relacionamento com eles e divulgar os produtos.

Parcerias

As parcerias implicam toda terceirização que será feita pela empresa, listando os fornecedores e parceiros necessários

Basta relacionar as outras empresas que ajudarão seu negócio a entregar aquela oferta de valor mencionada no primeiro quadrante.

No caso da padaria, teríamos: fornecedor de farinha de trigo e de todos outros insumos necessários, empresa terceirizada de limpeza, empresa de manutenção dos equipamentos, empresa de vigilância, contabilidade, etc.

Estrutura de custos

A estrutura de custos talvez seja a parte mais complexa do modelo, porque exige que você identifique tudo que será investido na operação da empresa.

Você precisa listar todos os custos com canais, recursos, atividades e parcerias, retomando tudo que foi dito anteriormente.

No caso da padaria: custos com gestão das redes sociais e anúncios, custos com recursos físicos, como maquinário. 

Há ainda os custos de fluxo de caixa, custos de produção, como recursos humanos, água, energia elétrica, insumos e contratos com fornecedores. 

A lista é longa, como você pode ver, e varia bastante conforme o perfil de negócio.

O que é o Canvas do Sebrae?

O Canvas do Sebrae nada mais é do que uma versão do Business Model Canvas do qual estamos tratando deste artigo.

Por entender que o modelo é funcional e pode ser utilizado por diversas empresas, como mostramos neste artigo, o Sebrae, instituição focada no fomento ao empreendedorismo, replicou o modelo e ofereceu em seu site para que os empreendedores brasileiros façam uso.

Para baixar o modelo do Sebrae, basta acessar este link. Business model canvas: O que é do sebrae?

Sebrae Canvas 2.0

O Sebrae Canvas é uma plataforma criada pelo Sebrae para tornar o Business Model Canvas mais dinâmico.

A ideia é utilizar a ferramenta em algum dispositivo touch, como tablets e smartphones, porque ele permite a montagem do Business Model Canvas em um meio online, como se fosse um painel gigante ou uma folha.

Na prática, o Sebrae deu dinamismo ao Canvas, tornando a sua aplicação mais prática e até divertida, porque fica semelhante a um quebra-cabeças, que vai sendo preenchido pelas informações do negócio.

Para acessar, use este link.

Conclusão

Agora que você chegou até aqui, pode confessar: fazer um Business Model Canvas é bem mais fácil do que o nome sugere, não é mesmo?

Como você viu ao longo do artigo, o Business Model Canvas permite que qualquer empresa traçe os principais aspectos do negócio e tenha um panorama do negócio em um único local.

Essa ferramenta pode ser utilizada tanto para empresas em fase de concepção como por outras já tradicionais no mercado.

Com a leitura deste artigo, você já pode traçar o seu próprio Business Model Canvas, seja para uma empresa que você sonha em criar ou para o seu negócio atual.

Além disso, este conteúdo lhe ofereceu condições para passar o conhecimento adiante, e mostrar para outros empreendedores e gestores os potenciais dessa ferramenta.

Esperamos que você tenha apreciado a leitura, tenha entendido todos os aspectos centrais do Canvas e seja, a partir de hoje, mais um usuário do Business Model Canvas.

Ficamos à disposição para tirar dúvidas e ajudar no que for preciso.

Faça contato conosco e compartilhe o artigo em suas redes sociais.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *